Pousada Aromas da Montanha

Observação de pássaros ganha novos destinos no Brasil; saiba onde praticar

Foi dos rios no sopé da serra de São José que brotou ouro e, graças a ele, nasceu, nas Minas Gerais do século 18, Tiradentes, hoje uma das cidades coloniais mais preservadas do país. Agora, a serra atrai outro tipo de garimpo, uma atividade que exige olhos atentos e um bocadinho mais de paciência: a observação de aves.

Conhecida internacionalmente como birdwatching, a prática começou a incorporar-se ao turismo nos anos 1960, quando muita gente descobriu o prazer de visitar lugares remotos para assistir ao comportamento das aves.

DE FRENTE PARA A SERRA

Destino com atrações variadas, que vão da festa da cerveja a festivais consagrados, como o de cinema, Tiradentes começa a conciliar o charme de cidade histórica com a imersão na natureza.

Segundo o historiador Luiz Cruz, 57, tiradentino autor de livro sobre a serra de São José, a região é um refúgio de vida silvestre que acolhe, por exemplo, 118 espécies de libélulas, conhecidas popularmente como lavadeiras ou helicópteros, sendo uma delas endêmica –só ocorre por ali.

Geralmente, onde há libélulas há pássaros. Na serra de São José, área de mata atlântica com encraves de cerrado e que se estende por cinco municípios, o biólogo-ornitólogo Kassius Santos, 44, calcula que existam cerca de 400 espécies de aves.

Entre elas, destacam-se o tangará-dançarino, o rabo-mole-da-serra e o papa-moscas-de-costas-cinzentas, que podem ser vistos ao longo de trilhas que chegam a atingir 1.300 metros de altitude.

 

Veja a materia completa no site da Folha de São Paulo.